CURSO COMPACTO SOBRE VINHO

AULA 3:  HISTÓRIA DO VINHO (parte 3)

O vinho na Idade Média

Idade Média ou Medieval caracteriza-se pela influência da Igreja sobre toda a sociedade, que se divide em clero, nobreza e povo. Trata-se de um longo período, durando quase 1000 anos. Inicia-se pela queda do Império Romano e termina com a tomada de Constantinopla, em 1453, pelos turcos otomanos.

Após a queda do Império Romano, a Europa deve aos monges o desenvolvimento da viticultura no continente. Não por acaso, as regiões com maior tradição vinícola na Europa são aquelas que tinham o maior número de monastérios ou abadias.

Herdados os vinhedos romanos, os monges não se contentaram apenas em fazer vinho, mas também em melhorá-lo. Um exemplo significativo é o trabalho executado pelos monges cistercienses na Borgonha, que sabiam desde essa época que para se ter bom vinho, tem que se cuidar primeiro da viticultura. Pioneiros nos estudos de solo da Côte d’Or, da necessidade de podas na videira, da escolha de parcelas nos vinhedos (menos expostas à geadas), da seleção de plantas e de rodearem seus melhores vinhedos com muros (clos), os monges cistercienses têm um papel histórico para essa região e esta é, sem sombra de dúvidas, uma das mais importantes do planeta.

Não se pode deixar de destacar o papel relevante que os monges também tiveram sobre o comércio de vinhos durante a Idade Média. Ao produzirem vinhos, a preocupação deles não era apenas de utilizá-los nas missas, mas também de poder vendê-los.Uma das poucas exceções importantes ao domínio da Igreja era a região de Bordeaux, com uma preocupação ancestral de qualidade.

Na época medieval, as cidades ofereciam água com muita impureza, e não raramente perigosa à saúde. Por isso, muitas vezes o consumo de vinho não era visto como um luxo e sim como necessidade. Muitas vezes a água era misturada ao vinho para fazê-la bebível. Por outro lado, até esse momento, o gosto do vinho também era muito duvidoso. Porém, a preocupação de beber vinho de qualidade vem de muitos anos atrás. Isso se comprova quando foi descoberto no Antigo Egito vasilhas de vinho com etiqueta dizendo o nome do produtor, o vinhedo e o ano de produção. Entretanto, pode-se afirmar que o nascimento de um vinho de qualidade vem muitos anos mais tarde quando o homem domina a arte de crianza, melhorando-o com a guarda em barricas e garrafas.

O comércio do vinho no período medieval pululava e a partir do Renascimento, a produção de vinhos se estendeu a todos os reinos, cidades e aldeias, reforçando a fama da bebida de Baco. Os grandes produtores e exportadores nessa época eram França, Itália e Espanha. Interessante, pois até hoje esses países estão na dianteira, “enfrentando” EUA e Austrália nesse competitivo mundo do vinho.

De produto de consumo habitual e até necessário na Idade Média, o vinho entra na idade Moderna (séculos XVI A XVIII) e Contemporânea (séc. XIX até o momento).

Caso queira conhecer a história do vinho parte 1 e parte 2 acesse os links abaixo: 

https://vinhoesexualidade.wordpress.com/2015/11/17/curso-compacto-sobre-vinho/

https://vinhoesexualidade.wordpress.com/2015/11/24/curso-compacto-sobre-vinho-3/

fig72

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s